Conduzir em Inglaterra

Na semana passada o director da minha empresa chamou-me ao escritório. Para quem quase nunca fala comigo, só poderia ser duas coisas: ou vou ser despedida ou vou receber um aumento pelo meu excelente trabalho. Nem uma coisa nem outra. Era uma emergência, um cliente precisou com urgência que alguém da minha empresa que fosse lá, mais propriamente a Leicester. E para não variar chamaram-me a mim e a um colega meu. Isso foi-me dito às 11h do mesmo dia que tinha de fazer a viagem para lá. Por isso a minha empresa alugou um carro mas o problema é que eu não tinha tempo de ir a casa para fazer a mala e voltar se fosse de autocarro em tão pouco tempo por isso tive de conduzir até minha casa e voltar à empresa. Claro que fiquei nervosa por ter de conduzir e com toda a situação. O carro chegou e lá comecei eu a treinar com a mudanças para ver se isto de mudar as mudanças com a esquerda funcionava. Não é assim tão mau quanto pensava. Saio da empresa, chego a um cruzamento e tenho de virar para a esquerda. Primeira coisa que fiz foi ir em contra-mão, só me apercebi quando vi um carro vir na minha direcção mas ainda com uma grande distância, o que deu para voltar ao meu lado esquerdo, que era onde devia nunca de lá ter saído. A cara do homem do carro à minha frente era de choque. E eu pensei, se isto começa assim vai ser bonito. E tinha razão. Passado uns metros ouvi um barulho de qualquer coisa a bater, quando olhei tinha acabado de bater com o espelho do lado esquerdo do carro noutro carro que estava estacionado. Nem queria acreditar, a sorte foi que não se notou nada no espelho e espero que no outro carro também não. Devem estar a pensar que sou um desastre a conduzir e que não é só por ser em Inglaterra, bem meus caros não é verdade. Nunca tive problemas em Portugal em 7 anos de carta. Nunca bati, sempre estacionei bem e pode-se dizer que conduzo bem e gosto de conduzir. Acho que o meu problema aqui é que sentia que tudo estava errado, olhava para o lado direito para ver o espelho, quando queria meter as mudanças ia com a mão direita, estava a contar ter espaço no meu lado direito e não ter nada no esquerdo, por isso talvez tenha batido. É uma sensação que tudo está mal. Passado algum tempo comecei a sentir-me melhor e a não ter problemas, acho que é uma questão hábito.

Como não houve tempo para devolver o carro, lá tive que o trazer para casa de novo e ficar com ele no fim de semana. O chato é que nevou no fim de semana e na segunda tive de conduzir com neve. Nunca tinha tido tal experiência e digo que não é fácil. Estava tudo cheio de gelo e nem dava para travar, se não o carro começava a derrapar. O meu colega até chegou a bater com o carro mas comigo correu tudo bem.

Notei que os ingleses são mais calmos a conduzir que os portugueses. Quando uma pessoa faz pisca para passar eles deixam e não é como o tuga que vai mais rápido para não deixar o outro passar. São mais controlados na condução e não usam muita a buzina. Pode ser que daqui a uns tempos compre um carro.

Anúncios

3 thoughts on “Conduzir em Inglaterra”

  1. A primeira vez que fui a inglaterra (mais precisamente derby) foi para levar um carro inglês que um colega meu que ai está deixou cá em portugal, como fui de Portugal até França a conduzir por estradas do “lado certo” habituei-me a questão das mudanças facilmente, quando finalmente entrei em território inglês pensei que ia ser de doidos, como ainda tive de conduzir umas horas até chegar a Derby e sendo grande parte em Auto-Estrada, acho que o meu cerebro se habituou a ver os carros do lado errado e posso dizer que ao fim de 2 dias e com a ajuda do meu grande amigo GPS (que por sinal em Inglaterra funciona na perfeição) já conduzia sem dificuldade.
    Por fim e em relação a questão de fazeres pisca aconteceu-me o mesmo, por momentos até pensei que o pisca daquele carro tinha super poderes e tinha desligado os outros carros pq enquanto eu andei nenhum carro passou por mim, tendo em conta que aquilo era uma das avenidas principais de Derby e que tinha três faixas de rodagem no mesmo sentido imaginem como achei estranho.

  2. gostei do teu post e revi-me nele! quando fui a escocia com a minha mae, mal ela pegou no carro, foi a primeira coisa que fez: ir em contramao. mas so aconteceu uma vez! por as mudanças custa no inicio mas dp uma pessoa habitua-se! mas conduzir na escocia, especialmente nas highlands, onde so ha pastagens e mtas vezes estradas de uma só via, é um passeio… andas km sem ver ninguém. e ate ver bombas é raro (as vezes estao a 100 milhas umas das outras!)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s